Produção europeia a toda a velocidade para pacientes corona em unidades de cuidados intensivos

Compartilhe

Os hospitais na Bélgica estão actualmente a utilizar maciçamente almofadas Ergotrics para ventilar pacientes Corona em posição de decúbito. Tanto a produção como a logística estão a funcionar a toda a velocidade, a fim de prestar assistência ao maior número possível de Unidades de Cuidados Intensivos nos seus cuidados a estes pacientes críticos. Isto só é possível graças à ajuda e esforços dos fornecedores e a uma escolha consciente no passado de produzir localmente.

"Acreditamos no poder da produção aqui, perto dos nossos engenheiros de inovação e dos nossos clientes", explica Inge Bruynooghe, CEO Ergotrics. É por isso que, no final de 2018, Ergotrics e Vinya, fabricante de dispositivos para-médicos desde 1948, e Sioen, um fabricante internacional de têxteis técnicos com sede na Bélgica, uniram forças. A montagem final e embalagem têm lugar na A-kwadraat, uma empresa de economia social em Turnhout, com um certificado de qualidade para a produção médica. A ideia única e patenteada do arranque da Ergotrics, combinada com o conhecimento e experiência destas empresas existentes, em Julho de 2019, resultou na primeira cirurgia de sempre em almofadas de ar e numa nova forma óptima e ergonómica de posicionar os pacientes no bloco operatório.

A pandemia forçou a Ergotrics a dar prioridade à certificação e produção de almofadas de Ventilação Prona Insuflável (IPV) para utilização em unidades de cuidados intensivos. "A prototipagem rápida foi utilizada para encurtar o processo de inovação, mas o maior desafio foi o de aumentar a capacidade de produção. Os hospitais fizeram novas encomendas imediatamente após a primeira encomenda de teste e a nossa estratégia de inventário ainda não estava pronta para isso", explica Michaël Maes, engenheiro de produção da Ergotrics, "Entretanto, as primeiras perguntas vieram de hospitais em Itália, Holanda e França".

Oito meses após o lançamento oficial, em pleno encerramento do Covid-19, o modelo de PME flexível da Vinya oferece a resposta adequada à crescente procura de mais apoio aos pacientes para a ventilação em posição de decúbito. Com plena convicção, todos os colegas de Vinya, juntamente com Ergotrics, Sioen e A-Kwadraat, continuam a construir uma resposta para a evolução angustiante do vírus pandémico. Os conhecimentos técnicos, a produção local europeia e a proximidade oferecem uma resposta adequada à duplicação inesperada da procura nestes tempos cruciais.

Vários intensivistas testemunharam na televisão sobre o trabalho pesado de levantar e inclinar os muitos pacientes corona que têm de ser ventilados alternadamente em posição supina e inclinada. A singularidade da solução Ergotrics é a utilização de ar comprimido em vez de força manual. Em combinação com uma placa insuflável (IBO) é possível realizar este trabalho ergonomicamente com menos 2 enfermeiros. Este produto resultou da colaboração da Ergotrics com a empresa de concepção e engenharia Voxdale e Coatex (parte do grupo Sioen Industries) em Poperinge. A placa insuflável patenteada é lavável e reutilizável. A produção tem lugar em várias fases, respeitando as actuais medidas de segurança no que diz respeito ao distanciamento social. Dirk Scharpé, gerente de vendas da Coatex: "A tábua insuflável foi inicialmente desenvolvida para colocar os pacientes em posição de decúbito antes da cirurgia. Estamos encantados por agora também oferecer uma solução para os pacientes afectados pelo vírus Covid-19. “

Aristide Melissas, CEO Vinya: "Estou enormemente orgulhoso deste tripartido belga. Isto prova mais uma vez que nem sempre é preciso ir tão longe para obter a mostarda e que a Bélgica é um belo país com muitas capacidades. O empenho de todos os nossos empregados e a lealdade são típicos da nossa PME familiar. Estamos todos encantados por podermos fazer a nossa parte para apoiar doentes e enfermeiros nestes tempos agitados. “

moldado em forma de almofadainsuflável-em-produção

A equipa Ergotrics

Quer manter-se informado? Inscreva-se para o manter actualizado.

Siga-nos nas redes sociais: